Parvovírus Felino: saiba mais sobre esta doença


O Parvovírus Felino (FPV) infelizmente existe e é muito semelhante ao Parvovírus que ataca os cães, acredita-se até que os vírus dos gatinhos tenham tido origem no vírus dos cães, porém, o nome dado à doença dos bichanos é outro: Panleucopenia Felina.

A Panleucopenia é uma doença de alta mortalidade e morbidade, ou seja, tem um alto poder de transmissão entre os animais e infelizmente, uma taxa de mortalidade que pode chegar a até 90% em animais jovens.

Pela característica do próprio vírus, a doença costuma atacar principalmente as células com alto poder de multiplicação no organismo, o que significa, um grande ataque à medula óssea, intestino, células embrionárias e tecido linfoide.

Os principais sintomas são: • Febre; • Depressão • Diarreia com fezes escurecidas e com sangue (de 2 a 4 dias após início dos picos de febre); • Vômito (no início composto pelo alimento, depois apresenta-se como um líquido espumoso branco-amarelado); • Desidratação (como consequência da falta de apetite, vômito e diarreia); • Anorexia (falta de apetite) e uma consequente perda de peso; • Morte súbita, na fase superaguda da doença, principalmente em gatinhos muito novos, com 3 a 10 semanas de idade. • Em fêmeas prenhes normalmente não causa sintomas, porém os filhotes podem ser abortados ou podem nascer com lesões no cerebelo ou displasia de retina.

A única forma de identificar a doença no animal é através da consulta com o Veterinário.

Pelo exame clínico, é possível notar algumas alterações que indicam a doença e que devem ser aliadas à anamnese e histórico de vacinação. Além disso, o diagnóstico definitivo só poderá ser feito através da realização de exames confirmatórios, que detectam a presença do vírus e/ou anticorpos. O tratamento, na verdade, assim como o tratamento da parvovirose em cães é feito para amenizar os sintomas do bichano e evitar que a doença continue evoluindo, além de oferecer todo o suporte que o gato necessita e fortalecer seu sistema imune para que ele reaja à doença. E vale lembrar, como o vírus é extremamente contagioso, deve-se deixar o gatinho doente longe dos demais e totalmente isolado.

A notícia boa é: existe vacina para essa doença. E se seu gatinho já recebeu alguma vacina, provavelmente ele já foi vacinado para essa enfermidade.

A vacina de gatos disponível no mercado normalmente oferece proteção contra 3, 4 ou 5 doenças, mas essencialmente elas protegem contra a Rinotraqueíte, a Calicivirose e a Panleucopenia, que é justamente o nosso tema de hoje. Confira na carteirinha de vacinação do seu pet se a vacina que ele tomou tem proteção para essa doença. Verifique também se o reforço está em dia e se ele precisa tomar alguma dose, pois lembre-se, o reforço deve ser anual. Na dúvida, consulte o veterinário de confiança.


Crédito das fotos: Fotograf Johannes Ahlström

Os gatinhos modelos de hoje são Sabrina e Tobias e estão disponíveis para adoção.


Gratidão por estar conosco! Precisamos de contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

161 visualizações

Colaborador

69524533_443244186272697_381744888066080
71850565_996543657389730_270500601259465
l-fotor-black03 500x500.png
26903629_1542510085833022_67302859417342
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon